quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

ORIGEM E SIGNIFICADO DO TOPÓNIMO "ÍLHAVO"

É possível que o topónimo “Ílhavo” signifique “costa das febres” e seja proveniente de “iili’abu” ou “iili’avu”. O radical “ii” significa em hebraico antigo “costa, litoral, ilha” e tem equivalente em ugarítico no termo “ay” ao qual é dado o significado de “ilha”. O termo “li’avu” é proveniente da “terapêutica mesopotâmica” (que é um glossário assírio especialmente interessante por conter termos ligados à medicina), e significa precisamente “febre”. Daí a possibilidade de “Ílhavo” ter significado originalmente “terra da febre”, e o nome de toda a região ter mais tarde ficado ligado à povoação.


Não me parece descabida esta possibilidade, visto que em tempos recuados a costa marítima seria precisamente onde está hoje o rio Boco, e os terrenos que hoje existem a Oeste seriam primeiro mar aberto, e mais tarde pântanos. De resto toda essa região a Oeste de Ílhavo é dominada por locais de nome “gafanha”: é a da “Nazaré”, a de” Aquém”, a da “Boavista”, a da “Encarnação”, a do “Carmo”, a da “Vagueira”, a da “Boa Hora”, a do “Areão”… Quer isto dizer que toda aquela região era terra de “gafos”, ou seja, de leprosos. Portanto deve ter-se tratado de uma área inóspita, pantanosa e cheia de mosquitos, certamente em certos períodos com paludismo endémico.
Esta possibilidade pode de algum modo ser confirmada com a existência do topónimo “febres” no sul da antiga “costa velha”, no concelho de Cantanhede, que será a tradução para português atual do topónimo “Ílhavo”.
José Pedro Machado refere o uso de várias grafias antigas para este topónimo: “Iliauo” entre 1037 e 1065; “Iliauo” e “Iliabum” em 1088; “Ilauum” em 1095; “Ilhauo”  em 1176; “Ilhevo” e “Ilhovo” no séc. XVI.  É de notar que em especial as formas mais antigas são muito próximas do “iili’abu” fenício.
Dados todos estes factos sou de opinião que o topónimo “Ílhavo” deve ter nascido de “iili’abu”, com o significado de “costa das febres”, e que constituía designação genérica de toda a costa pantanosa da região da atual Ria de Aveiro. Mais tarde o topónimo acabou por ficar associado a um dos seus povoados mais antigos, a atual cidade de "Ílhavo".


2 comentários:

  1. Parece que descobriram a pólvora... Antes de 1047 Ílhavo encontrava-se em terrenos Quaternário e junto ás linhas de água do Cretácico superior não havendo lugar ás lagoas que surgiram na idade média e nos terrenos novos arenosos resultantes das areias derivadas da desagregação de granitos do Douro.... a costa antes da IM era, em quase todo o litoral português mais para o interior e muitas vezes de arribas... Se forem ao Iraque há lá mais possibilidades de zonas pantanosas, que ainda hoje existem e onde navegam canoas/bateiras iguais às nossas.... Porque é que Ílhavo não pode ter o nome com origem no antigo nome de Troia - ILIOS??????? Lembro que os pescadores ILHAVOS eram chamados ILHOS por muitos.... e não sei se antes não seriam ILIOS??????... Só quando houver recolha de artefactos que o provem é que a origem pode deixar de ser TRADICIONAL.

    ResponderEliminar
  2. Digo mais... os povos antigos para remarem para norte no atlântico tinham que o fazer a remos pois os navios não bolinavam e tinham que ter na costa feitorias/colonias para dar descanso aos remadores e fazerem algum comercio... essa navegação seria junto ao litoral e de 30 a 40 milhas de navegação continua.... parte dessas feitorias ainda estão referenciadas.... tb é importante a força colonizadora dos Ílhavos nas novas praias de areia conquistadas ao mar e finalmente as canoas de tábuas que ainda existem na Ria e que os povos da Ria espalharam pelo litoral e rios a sul Douro... depois temos ainda a nossa sociedade matriarcal e muita consanguinidade...

    ResponderEliminar