quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Grão a grão... É claro que rever a etimologia da língua portuguesa é um trabalho para anos (e já lá vão alguns) mas já vou na letra "R". Partilho o trabalho bem produtivo desta manhã de 26 de Janeiro.


RACHA
A nossa palavra “racha”, e evidentemente o verbo “rachar” e outras palavras da mesma família, devem ter origem em “ršš”, que significa em fenício “destruir, despedaçar”. Usualmente aceita-se que as palavras desta raiz tenham uma origem “obscura”.

RAFEIRO
Aceita-se que a palavra “rafeiro” tenha uma “etimologia obscura”. No entanto em fenício “rbØ hr” (algo como rafãeêer) significa “concebido de cruzar gado” Parece lógico que esta seja precisamente a origem da nossa palavra “rafeiro”.

RALÉ
A palavra “ralé” deve provir do fenício, de “roei” e de “l’h” (lidas as palavras em conjunto será algo como “rãealuaêe”), que significa “mau, sem valor, mesquinho” e “sem poder”. Evidentemente que a possibilidade de existir uma qualquer relação com o francês “ralée”, que corresponde ao acto de lançar uma ave de rapina sobre uma presa, não é aceitável.

RALHAR

Em fenício, “rØ”(rãe) significa “gritaria, berreiro”, e “alh” (alêe) “rogar uma praga, emitir uma maldição”. Assim, “rãealêe” é uma “gritaria em que se rogam pragas” ou “um berreiro em que se amaldiçoa alguém, etc. A nossa palavra tem equivalentes próximos no significado e fonética no francês, no castelhano, no provençal, e mesmo no italiano, o que levou a procurar uma forma latina que estivesse na origem das palavras actuais de todas estas línguas. Assim aceitou-se que teria havido imã hipotética palavra latina “ragulãre”… Não parece no entanto aceitável a origem latina para esta palavra, desde logo porque a tal palavra "ragulãre" nunca existiu.


... e por último ... "RAPAZ" e "RAPARIGA"

É pouco crível que o termo “rapaz” tenha origem na palavra latina “rapace”, que significa “ladrão”. De resto a palavra “rapariga” seria uma forma muito estranha para ter evoluído como feminino de “rapaz”. De facto “rb” (lembremos que na evolução do fenício para o português b=p) significa em fenício “ser muito” e “Øz” (ãez) é ser forte. Assim, “rapãez” significa “ser muito forte”. Já a palavra “rapariga”(que geralmente se afirma ser de "origem obscura") conta com a mesma raiz “rb” que significa “ser muito”, mas complementa-se com a palavra fenícia “rk”, que significa “delicado, tenro, macio, ternura, delicadeza”. Assim, “rapãez”, que significa “ser muito forte” deu o nosso “rapaz”; já “raparek”, que significa “ser muito delicado” veio a dar origem à nossa “rapariga”. Como seria de esperar não se trata de "ladrões" nem de origens "obscuras"...



Não é muito, mas

Sem comentários:

Enviar um comentário